Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Retorno a Dublin

Conforme relatei na ultima postagem fui para o Brasil, após dez dias de férias por lá eis que chega a hora de retornar.

Tudo tranqüilo, saída de Florianópolis no horário, cinco hora de conexão em Guarulhos, dez horas de vôo até Madri e aí que começou a aventura.

Chegada em Madri as 6:30 da manhã, meu vôo para Dublin era as 12:25, aeroporto vazio, vou para o portão de embarque indicado na passagem e aproveito para descansar. Após algum tempo lá, saio para fazer um lanche e no retorno vou ao balcão da Ibéria confirmar sobre o portão de embarque, se realmente será este, e sou informado que sim, mas devo retornar ao balcão de informação as 11:55 para confirmação exata.

Volto ao portão de embarque e conheço a Ana, brasileira que veio estudar em Dublin, depois chega ao portão mais dois brasileiros Lauro e Ivo, ambos com destino a Dublin para estudar Inglês. Todos ja haviam passado no balcão de informação da Ibéria, e recebido as mesmas instruções.

Passamos toda a manhã em frente ao portão de embarque, apenas saímos as 11 horas, pois os outros brasileiros não tinham comido ainda, e as 11:30 retornamos ao portão de embarque. Fomos ao balcão de informação novamente, e informaram que deveríamos aguardar, 11:50 e nada de mudanças, retornamos ao balcão de informação, e os funcionários estavam agitados, pois tinha várias pessoas com atrasos e cancelamentos de vôos, e eles insistiam em dizer que tínhamos que aguardar.

Nosso vôo era as 12:25 e ficamos ali aguardando informações e questionando os funcionários e o tempo passando, até que um deles nos informou que nosso vôo ja tinha saído, e que eles haviam nos chamado no portão de embarque as 11:55 e não tinha ninguém ali.

Resumindo, ficamos discutindo várias horas, pedindo novo vôo, eles apenas dizendo que a culpa era nossa, que não podiam fazer nada, e que o próximo vôo para Dublin seria dois dias depois e que não teríamos direito a hotel.

Por fim cansados de brigar, e ver que nada mudaria decidimos comprar passagem com a companhia Aer Lingus, pois eu tinha viagem marcada para Amsterdam no outro dia, e não poderia ficar em Madri. Mas para comprar as passagens precisávamos ter certeza que nossas bagagens ja estavam em Dublin, e começou mais uma maratona, pois em cada local recebíamos informações diferentes, nesse rolo todo, um dos brasileiros (Lauro) se perdeu do grupo, assim que tivemos certeza de que elas tinham sido enviadas, nos deslocamos para outro terminal do aeroporto (tivemos que pegar um trem para checar a situação das malas e depois um ônibus para mudar de terminal).

Chegando no terminal 1 fomos em busca do guiche para fazer a compra dos bilhetes, mais uma maratona, quando achamos o guiche ele estava fechado, então decidi fazer a compra via internet, mas neste terminal só tinha aquelas maquinas com moedas, as quais eram extremamente lentas, pega moeda de um e de outro acesso feito e nada de conseguir efetuar as compras, nesse intervalo de tempo encontramos o Lauro novamente, e ele tinha conseguido fazer a troca de bilhete na Ibeira, sem custo.

Assim, decidimos retornar ao terminal 4, ir no balcão da Ibéria e tentar a troca também, só que nesta confusão, quando estava dentro do ônibus, percebi que estava sem meu passaporte, e então começou o pesadelo parte 2, retornei ao terminal 1 para procurar meu passaporte, e os outros brasileiros foram brigar novamente pela passagem, enquanto isso fui nos achados e perdidos, balcão de informação do aeroporto e por fim na polícia, onde fui informado que deveria ligar para a embaixada brasileira.

Ligo para embaixada, e sou atendido por uma mensagem gravada, informando que eles trabalham até as 13 horas e ja eram 17 horas, mas tinha um outro numero para ligar em caso de emergência. Liguei para este número e novamente é uma mensagem gravada, informando que devo gravar meu recado que eles vão retornar, assim procedi e fiquei sentado ao lado do telefone publico aguardando retorno, que não veio.

Cansado de esperar fiz todo o trajeto novamente, achados e perdidos, informação, polícia e nada. As 19 horas, ja sem esperança de encontrar meu passaporte, reencontro os brasileiros, eles desanimados que não conseguiram trocar as passagens, e iriam comprar via Aer Lingus mesmo. Quando chegamos ao guiche, que agora estava aberto, pedi para eles olharem se por acaso não tinham pego meu passaporte por engano, e eis que tenho a melhor notícia do dia, meu passaporte estava na bolsa da Ana.

Um dos pesadelos terminou, agora é só comprar a passagem e voltar. Compra efetuada, check-in feito, embarque efetuado, duas horas de vôo e BEM VINDOS A DUBLIN, fim do outro pesadelo.
















E essa foi minha aventura de volta a Dublin, meu coração com certeza esta muito bom e minha mente também, por que não foi fácil.

Para esquecer de todo este sofrimento, é chegar em casa dormir duas horas e pegar outro vôo, agora para Amsterdam, mas essa história fica para a próxima postagem.......

3 comentários:

  1. Caraca Jean, que dureza amigo.
    Infelismente o sofrimento sofrido por vcs pode ser recompensado. Amsterdam é muito bonita e atraente.
    Fica mais uma vez provado que nem tudo é uma maravilha quando se pega as malas e vai por ai. Com todas estas viajens e passeios, a probabilidade de problemas é maior, sem contar com os efeitos que a mãe natureza podem causar. Um vulcão aqui, uma nevasca ali e coisas do tipo.
    hehehehehe, Seja bem vindo de volta a Dublin.
    Forte abraço

    ResponderExcluir
  2. Nossa, que novela mexicana vc passou na Espanha :/ deve ser tenso demais ter que esperar e não ver nada acontecer... mas que bom que deu tudo certo e espero que tenha curtido sua viagem para a Holanda!

    Beijooo!

    ResponderExcluir
  3. Olha...foi uma terrivel experiencia...mas depois de tudo rimos do nosso desespero rs..Bjo Jean até a proxima, espero que sem perer passaportes e voos... :)

    ResponderExcluir